#Comportamento – Adoção, como funciona?

Essa é uma decisão muito importante na vida de uma pessoa e deve ser tomada com consciência. A adoção é permitida para casais e também para pessoas que estejam solteiras. Uma criança adotada recebe um novo lar, uma nova família e também tem sua rotina alterada. Por isso, esse assunto deve ser tratado com atenção pelas pessoas que desejam incluir um novo membro na família.

Durante o processo de adoção, um dos itens analisados é a estabilidade financeira da pessoa/família que deseja adotar. Por isso, além de estar com o bolso preparado para fazer toda documentação necessária da criança ou do adolescente é preciso fazer um planejamento para receber mais uma pessoa na família.

Se você quer adotar uma criança e/ou adolescente é preciso procurar a Vara da Infância e da Juventude, localizada no fórum mais próximo da sua casa. Lá vocêserá orientado sobre os procedimentos para entrar com o pedido de adoção, para depois fazer parte do Cadastro Nacional de Adoção.

O primeiro passo será preencher uma ficha com o nome e dados pessoais dos pretendentes à adoção. Em seguida, será feita uma entrevista com a assistente social do fórum. Nessa primeira entrevista é entregue um questionário para ser preenchido pelos pretendentes, indicando, o perfil da criança ou do adolescenteque deseja.

É possível escolher o sexo, faixa etária, tipo físico e as condições de saúde, bem como a quantidade de crianças ou adolescentes a serem adotados e o local do país onde as crianças poderão ser achadas.

Essa ficha deverá ser entregue à assistente social no momento da segunda entrevista. Após as duas entrevistas, a assistente fará uma visita à casa da pessoa que pretende adotar.

Depois disso, é agendada uma entrevista com uma psicóloga do juizado para conhecer melhor o seu estilo de vida, sua renda financeira e também o seu estado emocional.

Posteriormente, da mesma forma que há duas entrevistas com a assistente social,haverá uma nova entrevista com a psicóloga. Em casos excepcionais, será feita nova avaliação. O orçamento da família pode influenciar na decisão desses profissionais, mas não é um fator determinante para finalizar o processo de adoção.

Depois do laudo final da assistente social e da psicóloga e de verificar asinformações no seu cadastro, o processo é encaminhado para o Ministério Público, para que o promotor de justiça dê seu parecer. Em seguida, ospretendentes deverão comparecer ao Curso fornecido pelo Poder Público, quando poderão tirar as últimas dúvidas, conversar com pessoas que já passaram pelo mesmo processo, além de receber orientações gerais.

Depois de cumprir todo esse processo o juiz faz uma análise e, se seu processo for aprovado, seu nome será incluído no Cadastro nacional de Adoção.

Com tudo aprovado, você entra automaticamente na fila de adoção do país e aguarda até aparecer uma criança com o perfil desejado.

Você também pode usar esse documento para adotar alguém que já conhece. Mas nesse caso o processo é diferente. É preciso pedir a um advogado para entrar com o pedido no juizado.
– Se for reprovada, busque saber as razões. Você pode fazer as mudanças necessárias e começar o processo novamente.

– Antes de contratar os serviços de um profissional faça as contas para evitar dificuldades no seu orçamento.
Em 2011, o Brasil tinha mais de 4.856 crianças aptas para serem adotadas e mais de 27 mil interessados em adotar, conformedados do último balanço do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), divulgado em setembro de 2011, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para dar entrada ao processo de adoção de uma criança e/ou adolescente é necessário apresentar alguns documentos na Vara de Infância e Juventude da sua cidade ou bairro. Mas certifique-se diretamente na Vara onde fará esse processo quais as certidões necessárias, pois a documentação pode variar de uma Comarca para outra.

– Requerimento de inscrição que deverá ser assinado pelo casal ou pelo requerente (quem solicita a adoção).

– Certidão de nascimento ou de casamento de acordo com estado civil do adotante.

– Cópia da Carteira de Identidade.

– Comprovante de Idoneidade Moral com reconhecimento de firma de quem assina. (Esse documento serve para mostrar se a pessoa tem capacidade de cuidar de uma criança)

– Atestado de Sanidade Física e Mental. (Documento que comprova sua saúde)

– Comprovante de Renda. Para os profissionais autônomos é necessário apresentar a declaração de Imposto de Renda.

– Comprovante de residência que estejam no nome do adotante e sejam de contas básicas (água, luz, telefone, gás).

– Certidão de Antecedentes Criminais.

– Estudo Social Oficial, que é um documento entregue pela assistente social depois da entrevista.

– Fotografias da família ou do adotante. Para comprovar a convivência do casal ou convívio com a família.

Peça a ajuda de um profissional para evitar erros na entrega da documentação, pois esse é um processo burocrático e pode ser demorado.
Não se esqueça de colocar os gastos com documentação no seuorçamento para não perder o controle do dinheiro que gasta.

É importante se planejar para a chegada do seu filho (a). Pense em como irá acomodá-lo e nos gastos com roupa, estudos, assistência médica, alimentação, lazer entre outros. Sabendo quais serão os possíveis gastos você evita afetar o seu bolso com o novo orçamento.

É importante lembrar que, em geral, as crianças vêem com a roupa do corpo, dificilmente será feita uma mala pelo abrigo, porque as roupas serão encaminhadas para as outras crianças presentes na instituição.

De acordo com a Lei n° 10.421, a mãe adotiva também tem direito a licença e salário maternidade. O tempo de licença também é de120 (cento e vinte) dias, sem nenhuma distinção para a licença de mãe biológica e de mãe adotiva, porque em ambos os casos serve para mãe e filho (a) terem a oportunidade de se adequarem à nova realidade, proporcionando o desenvolvimento da criança e uma relação mais sadia no futuro.

A espera para adotar uma criança pode demorar de acordo com o perfil que foi escolhido durante o cadastro. A Lei determina que a separação de irmãos somente pode ocorrer em último caso.

Quando aparece alguma criança com o perfil que pediu, você é chamado para conhecê-la e se quiser inicia-se o estágio de convivência, sem que a princípio você possa levar a criança para casa.

Se o relacionamento der certo, o responsável recebe a guarda provisória, que não tem tempo certo de começar ou de acabar, podendo ser de meses ou de anos, dependendo da situação de cada família.

Se tudo correr bem, após o término da guarda provisória você recebe a definitiva.Nesse caso, o juiz determinará a emissão de uma nova certidão de nascimento para criança com o sobrenome da nova família. Se desejar, você também pode trocar o primeiro nome da criança. Mas nesse caso é importante analisar com calma se essa atitude poderá afetar a saúde psicológica da criança.

O que vale não é a genética e traços parecidos com o dos pais e sim o vínculo afetivo entre a criança e a nova família. Mas muitos pais deixam de adotar crianças mais velhas por esse motivo.

Por conta disso os abrigos ficam lotados de crianças e adolescentes. E quantomais tempo se passa maior a dificuldade de serem adotadas. Por isso surgiu otermo adoção tardia, usado para designar a adoção de criança com mais de quatro anos.
O Dia da Adoção é comemorado no dia 25 de maio.

Depoimento: No fim da espera há recompensas

“Eu demorei cerca de oito anos para conseguir adotar uma criança. A burocracia é muito grande. No meu caso eu acompanhei a gestação de uma conhecida que não queria ficar com a criança.

Por isso meus gastos começaram antes mesmo de conhecer meu bebê. Paguei assistência médica, roupas e alimentação para a moça que estava grávida, mesmo sabendo que esse era um caminho inseguro, pois a qualquer momento ela poderia mudar de ideia.

Assim que peguei minha filha nos braços pela primeira vez, senti algo inexplicável. Pedi para minha advogada providenciar a documentação, que demorou mais de um ano.

A assistente social visitou minha casa duas vezes. Por conta disso, fiquei preocupada. Mas em menos de dois anos saiu toda a documentação comprovando que ela é minha filha. Hoje sou muito realizada por conta dessa conquista que mudou a minha vida para melhor”.

Neusa Morais, empresária, 53 anos, São Paulo.

Serviços:

Conselho Nacional de Justiça
http://www.cnj.jus.br/

Ministério da Fazenda
http://www.fazenda.gov.br/

Secretaria de Direitos Humanos 
http://www.sedh.gov.br/

Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção
http://www.angaad.org.br/

Fonte:

http://www.meubolsoemdia.com.br

wpid-logo-clin-peq19

Anúncios

Marcado:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: