#Cultura – O que é a cultura Rastafári?

Olá meninas, tudo bem?

Vocês já devem imaginar que sou uma pesquisadora nata, e pra falar a verdade, a curiosidade é o alimento da minha hiperatividade!

Eu já devo ter dito em algum post anterior que não sigo uma religião, sou a adepta a um estilo de vida que me permite acreditar em minha própria linha de pensamento, baseada em todas essas pesquisas que faço e na fé que me acompanha desde quando eu nasci. Sou uma pessoa totalmente aberta e acredito principalmente no BEM, na pratica de atitudes positivas e da troca do universo assim como na natureza, acredito na divina trindade fielmente e me identifico com os verdadeiros amantes da ciência, aqueles que tem como objetivo entender os fenômenos e que estudam os mistérios mais profundos através de vestígios de antigas sociedades, sabem da existência de nosso criador e da vinda de seu filho na terra! A própria bíblia se “decifrada” desvenda muitos dos mistérios da nossa fé e assim como dizem que Isaac Newton descobriu a gravidade com a simples observação do cair de uma maçã, eu arrisco a pensar que nosso ciclo de vida tende a ser igual aos outros ciclos dos seres vivos em nosso planeta, plantamose colhemos, nascemos, vivemos e morremos, nossas sementes viverão através de nós e assim, sucessivamente voltamos a vida pelo mérito, pela a simples e bela evolução espiritual, e quando regredimos e tomamos atitudes negativas colhemos nossas peripécias de acordo com nosso livre arbítrio através do nosso poder de escolha!

Na minha opinião:

Como não acreditar que algo realmente superior nos governa, se nós mesmos nos organizamos naturalmente assim?!

Existem vários Deuses, varias religiões e pregações diferentes, mas em minha humilde opinião:

Como podemos acreditar que energias alimentadas com materialismo, culto ao dinheiro, ceitas de sacrifícios, nos tornará mais ricos? Mais sabidos? E melhores?

Desculpe me a todos, mas eu vim de uma família que sempre me educou para entender que, se você quer algo, você deve conquista lo com honra, dignidade e honestidade!

Você é aquilo o que você acredita! Suas conquistas são reflexos da suas escolhas! Se você quer ser melhor em algo, dê o seu melhor! Perdão aos fanáticos e religiosos que defendem suas posturas com unhas e dentes mas, não precisamos de criticas e sim de exemplos!

A sociedade hoje é regada a hipocrisia, pouca fé na vida, viciada na facilidade, sem valores e com muitos preços!

Não sou Rastafari, porque não me defino, sou um espirito livre, que vaga pela terra espalhando boa vontade, tenho minha fé e sigo meus preceitos!

Mas, achei muito interessante a cultura deles que se aproxima muito de alguns princípios que acredito. Resolvi trazer a vocês essa matéria que vi em um blog de Portugal alternativo e que explica exatamente do que se trata o movimento, pois, muita gente estereotipa a religião e associa ela á apologia as drogas. Portanto, como sou a porta voz da diversidade, eu traduzi a matéria, vamos conhecer a cultura Rasta e todos seus conceitos?

IMG_8796.PNG

O movimento Rastafari surgiu nos anos 30 entre a classe trabalhadora e camponeses negros, na Jamaica, como um movimento religioso que defende Haile Selaisse I, Imperador da Etiópia como a personificação terrena de Jah (Deus). A etimologia da palavra Rastafari provém da junção de duas palavras: Ras (“princípe” ou “cabeça”) com Tafari (“da Paz”). Traduzindo-se em “cabeça da Paz“. O movimento Rasta tornou-se popular no Ocidente pela música de Bob Marley, sendo este um ícone do movimento. Anteriormente era uma religião somente seguida por pessoas de origem ou descendência africana, na atualidade o movimento abriu as suas portas a todos os que se queiram juntar a ele e à difusão da palavra de Jah e dos princípios da Verdade e da Paz Universal.

Os conceitos dessa cultura são:

IMG_8791.PNG

Comprometimento com os princípios Rastafari: É crucial. De nada importa ter o cabelo cheio de dreadlocks, usar o vestuário do movimento, se não você não tiver um sério compromisso com os princípios Rasta, sem compromisso você nunca será um verdadeiro seguidor desta filosofia de vida. Este é um movimento religioso, uma forma de vida, não uma moda, como, infelizmente, muitos jovens pensam que seja. Não se trata da superficialidade de usar dreadlocks e fumar marijuana, é algo muito mais profundo do que isso.

  Os princípios do movimento Rastafari :

o   Reconhecer o Imperador Haile Selaisse I como o supremo Ser e único governante do Rastafari;

o   Acreditar que Marcus Garvey é o profeta do movimento, que falou da chegada do Messias, Haile Selaisse, e o regresso de todos os negros à Terra Prometida, a Etiópia;

o   Dedicação ao princípio de deixar as tuas rastas crescerem livremente, compreendendo que é aí que reside a tua força;

o   O compromisso de “comer puro”. Nada de carnes vermelhas, nada de carne de porco, nada de peixe e marisco. Em alguns casos, nada de carne. Muitos Rastafarisão vegan, recusando-se a comer produtos de origem animal. O corpo é o templo de Jah e deve ser mantido purificado;

o   O compromisso de comer “ital“, significando “sem sal” – este é um símbolo de pureza;

o   Amar toda a Humanidade. Não guardar ódio ou rancor no coração, e estar em paz consigo mesmo;

o   Não amaldiçoes, não critiques e não te vingues, porque o Rastafari não guarda ódio no seu coração;

o   Tornar se um com a Natureza, nossa Mãe. Noutras palavras, amar a vida, amar a Natureza;

o   Respeitar as cores (dourado, vermelho e verde) e saber os seus significados;

o   Respeitar o vestuário. Ele é um dos símbolos do compromisso com o movimento;

o   Estudar os escritos da Bíblia Rastafari, compreendo os seus significados e leva-os sempre no teu coração.

IMG_8790.PNG

As cores do movimento: Dourado, Vermelho e Verde: simbolizam as cores da bandeira da Etiópia e o símbolo da lealdade Rasta com o Messias, Haile Selaisse I, e a África, acima que qualquer nação moderna em que, provavelmente, os seguidores do movimento vivem. Estas três cores são com frequência vistas em roupas, acessórios, e têm a sua simbologia. O Vermelho simboliza o sangue dos mártires, o Verde simboliza a vegetação de África e o Dourado simboliza a riqueza e prosperidade do continente Africano.

 Transformar os cabelos em dreadlocks : Nos primórdios da História, em certas religiões africanas e indianas era proibido cortar e pentear os cabelos, por diretrizes religiosas, levando ao entrançar natural dos cabelos, formando-se dreadlocks. Ao contrário de credos populares, os dreadlocks não tiveram origem com o movimento Rasta e com Bob Marley, teve a sua origem milênios antes na Índia. A origem etimológica da palavra Dread significa “aquele que teme o Senhor”. Atualmente, há quem faça dreadlocks por via de uma técnica de cabeleireiro (geralmente pessoas fora do movimento), contudo há muitos Rastafaris que ainda seguem a via tradicional de não pentear o cabelo e esperar a sua formação natural. A razão para o uso de dreadlocks no movimento Rastafari é uma expressão de profunda abertura espiritual, conhecedor dos mistérios do Cosmos, da Espiritualidade e de revelação da sua identidade. É de se observar que apenas se pode apelidar de “rastas” os dreadlocks dos seguidores da religião Rastafari.

IMG_8794.PNG

Ouvir música Reggae: Surgiu como expressão dos ideais religiosos da filosofia Rastafari, de paz, amor e respeito por todas as formas de vida, é bastante popular mesmo fora do movimento, especialmente entre as camadas mais jovens da sociedade. Sendo Bob Marley o mais popular e não é raro ver um jovem ocidental com uma camisola ou um patch do artista. Outros artistas como Peter Tosh, The Wailers, Prince Buster, Desmond Dekker, Jackie Mitto, Steel Pulse, Musical Youth, Black Uhuru, Sugar Minotti, Lee “Stratch” Perry, King Tubby, Damian Marley, SOJA, Soldiers of Jah Army, Burning Spear, a cantora nigeriana Nneka também tem boa música de intervenção, entre muitos outros. Atualmente, Trance, Drum and Bass, Dubstep e Rave, também são muito populares dentro do movimento.

 O vestuário Rastafari: Os ideais que este movimento defende, fluem para o vestuário dos seus seguidores. Roupas leves, de tecidos naturais (linho, algodão, cânhamo, lã, etc.), simples, coloridas, de herança africana e índia. Calças largas de tecido, poderão ser de cores planas como com estampados de riscas, camisolas de algodão, lenços, túnicas, vestidos fluídos para as raparigas, casacos Baja, assim como sandálias e malas de couro, ou em tecido, para os que são contra o uso de peles. Bijuteria indiana, indígena e africana são as mais populares, tanto entre as raparigas como entre os rapazes. As cores favoritas são as que simbolizam o movimento: dourado, verde e vermelho.

  Como praticar o movimento:

IMG_8797.PNG

Procura a tua Verdade. Para o movimento Rastarafi, todas as formas de vida estão conectadas a Jah e cada indivíduo possuí uma Verdade própria e dedicam a sua vida à procura dela; através da meditação, através de expressão artística. Os Rastas dizem que os cientistas querem descobrir o Mundo com uma visão de fora, no entanto, eles descobrem o Mundo vendo-o de dentro, do interior da sua alma individual. 

 Excluí a televisão e de outros meios dos Media da tua vida. Estes são meios de difusão de tudo o que o movimento Rasta é contra: o culto da imagem, o culto do dinheiro, o culto do superficial, o culto do Capitalismo, o culto da moda, o culto da violência, o culto do ódio. As notícias que passam nas televisões são manipuladas pelo Estado, e nunca contam a história verídica. Para te manteres atualizado, lê jornais independentes ou dos partidos da Oposição.

Compreende os problemas que a Humanidade atravessa. A opressão que os governos exercem sobre os povos, o Imperialismo, o Capitalismo, as Guerras, a Fome, a Pobreza, entre tudo o mais. Participa em manifestações, marca os teus ideais e como disse Gandhi, seja a mudança que queres ver no Mundo. Este é um movimento que defende o Amor entre todos, o respeito por todas as formas de vida, a Paz, a Verdade, o Altruísmo e a Igualdade. Não há superiores nem inferiores, todos somos irmãos, todos somos filhos de Jah.

 A Body Art é uma questão contorversa no movimento, pois as opiniões dividem-se. Há seguidores do movimento que têm piercings e tatuam a sua pele. No entanto, os mais religiosos defendem que o corpo é o templo de Jah e deve manter-se purificado e que os piercings não são uma boa opção, pois deles a energia escapa, trazendo más vibrações à nossa aura. 

IMG_8795.PNG

Importantíssimo:

Em vários países o consumo da Maconha é ilegal. Assim, mesmo os praticantes da religião devem ter muito cuidado com o seu consumo. Ainda que segundo a religião, os benefícios da cannabis enquanto planta medicinal e o seu consumo, possa ajudar a manter o equilíbrio do organismo, além de ser um  auxiliar à meditação, ajudando a atingir níveis mais elevados da consciência universal e a entrar em contacto com Jah, vários são os governos que não estão a par destes benefícios, assim como muitos médicos não recomendam seu uso por muitos motivos, inclusive psiquiátricos. Por exemplo, no nosso país, o consumo de Maconha é ilegal, ainda que haja com frequência manifestações para a sua legalização, portanto recomendo que não a utilize e vá contra todos os princípios da religião, alimentando o trafico e aliciando milhares de crianças por consumo e venda de drogas, que é considerado crime e punido em regime fechado. Ok?

E ai, gostaram desse post super diferente?

Deixa seu comentário ai embaixo!

Beijos e até a próxima!

Referencias: Be Alternative!

wpid-logo-clin-peq191 (1)

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Marcado:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: