#Cultura: Viktoria Modesta, da Deficiência ao estrelato.

Tem 27 anos, é modelo e cantora. Aos 20 anos amputou uma perna. Agora quer mostrar que as incapacidades físicas não são barreiras para o sucesso. E quer redefinir o que é “sexy”.

Olá meninas tudo bem?

Vocês já ouviram falar algo sobre Viktoria Modesta?

Se você ainda não ouviu falar dela, registre esse nome, porque a cantora Viktoria Modesta vem se destacando na cena pop e promete agitar o cenário musical.

Com o lançamento do clipe “Prototype” no  X Factor, a emissora britânica Channel 4, divulgou a revelação Viktoria Modesta, a primeira cantora com deficiência física a se destacar na cena pop.

Apresentada como a “primeira artista pop biónica”, o site Life Style conta a história da letã Viktoria Modesta, agora famosa.

Começou com uma malformação na perna esquerda identificada no momento do nascimento. Ao longo da infância e juventude, passou por 15 cirurgias até que se mudou para o Reino Unido e, aos 20 anos, escolheu amputar a perna para ganhar qualidade de vida e reduzir problemas de saúde.

Por um erro médico, ela nasceu com um problema na perna esquerda; aos 20 anos decidiu amputá-la para ter controle de seu corpo.

“Eu tinha confiança mas tornou-se claro que o meu físico não conseguia coincidir com a minha ambição”, explicou Modesta à revista Elle britânica. “Havia muita incerteza a pairar sobre a minha saúde e eu estava determinada a corrigir isso para que pudesse fazer as coisas com que sempre sonhei”, acrescentou. “Foi um upgrade. Como ir de económica para primeira classe”, diz sobre o processo de remoção da perna.

Sete anos depois, a artista utiliza próteses com cristais Swarovski – caso da escolhida para a actuação no encerramento dos jogos Paralímpicos de Verão de 2012, em Londres, numaperformance no gelo –, com luzes, ou em bico. Sem nunca esconder, antes pelo contrário. É um dos seus “maiores trunfos”, declara.

O primeiro videoclip da artista, Prototype, realizado por Saam Farahmand – lançado a 12 de Dezembro e conta com milhões de visualizações – resulta de uma parceria com o canal de televisão britânico Channel 4, que lançou a campanha “Born Risky”, para mudar a percepção do público em relação às pessoas com algum tipo de incapacidade e criar diálogos.

Forget what you knew about disability” (“esquece o que sabes sobre a deficiência”) é a mensagem que aparece no início do vídeo. Durante seis minutos, Viktoria Modesta canta, dança, simula cenas de sexo e derrota inimigos, mostrando sempre de forma desinibida a perna amputada.

“Eu sou uma personagem genuína”, diz à Elle, “e parece que as pessoas estavam à espera disso, de serem capazes de se identificarem com alguém que não está a tentar vender-lhes algum tipo de sonho inalcançável”.

O Guardian questiona se estamos prontos para permitir que a incapacidade de alguém seja simplesmente considerada parte da sua identidade. “Estamos prontos para que eles sejam super estrelas? Estamos prontos para que eles sejam sexy?”. Modesta responde: “Se não estamos, devíamos estar. A ideia de que as pessoas com deficiências físicas não podem ser sedutoras é totalmente inaceitável. É por isso que no vídeo eu fiz questão de explorar a minha sexualidade até ao limite. Não se trata de querer agradar a um público masculino, é sobre representar uma sexualidade com que me sinto confortável”, frisa.

Viktoria Modesta usa a prótese como um acessório super fashion e se consolida como a primeira cantora com perna amputada do cenário pop internacional.

Apesar do problema com a perna, ela iniciou sua carreira artística aos 4 anos e tem em seu currículo aparições nas semanas de moda de Londres e Milão, editoriais de publicações como The New York Times, Vogue, iD eGrazia.

Só depois de fazer o London Music School, em 2009 é que ela lançou um projeto de colaboração musical com o músico/produtor Nik Hodges . Sua primeira faixa “Jane Bond” foi destaque na Semana de Música Playlist.  Em 2012, Modesta lança seu single de estreia “Only You”.

Mas seu primeiro grande evento foi a performance de “Snow Queen”, a tão comentada participação nos Jogos Paraolímpicos de Londres, interpretando a Rainha de Gelo ao lado do Coldplay. Durante a apresentação da música “42” ela dançou com seis patinadores do programa “Dancing on Ice”. Sua performance usando uma prótese toda cravejada de cristais Svarowski.

Vale lembrar que a designer Sophie de Oliveira Barata, quem produz as próteses artísticas de Viktoria é fundadora do The Alternative Limb Project que assina a perna de cristais Swarovski usada nesta cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos de Londres. Cadeiras e outros acessórios como bengalas e muletas tb podem ser customizados segundo a mesma.

O site Fashion Bubbles nos convida a refletir sobre a diversidade e como é um tema recorrente na sociedade contemporânea. Como isso pode ser constatado até nos brinquedos, onde exemplos como a Monster High vem traduzindo essa busca pela aceitação das diferenças e dos nossos lados obscuros.

Na minha opinião ela um grande exemplo de superação e auto estima, um exemplo de como mostrar um talento e destacar de forma aceitável e não lamentável sua dificuldade, acredito totalmente que o caminho é esse nesse tipo de caso, se aceitar e procurar algo que te faça bem e se dedicar a coisas que você tem talento e as vezes nem imagina que tem, se amar e não se importar para o que os outros pensam!

E você o que pensa sobre isso?

wpid-logo-clin-peq191 (1)

Anúncios

Marcado:, , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: