Arquivo mensal: abril 2017

#Beleza: Colar exclusivo criado por designer brasileira beneficiará projetos de ONG Internacional

ONG internacional se une à designer de joias em prol de projetos sociais

Colar de pedra exclusivo foi criado para campanha do Dia das Mães; parte do dinheiro obtido com a venda acessório idealizado por Talita Rubinho, criadora da marca Evna, será revertido para projetos da organização

A Visão Mundial – organização que integra a World Vision Internacional, maior ONG humanitária do mundo – se uniu à designer paulista Talita Rubinho, criadora da grife Evna, para o desenvolvimento de uma joia exclusiva para uma campanha de Dia das Mães da organização. A intenção é arrecadar dinheiro e ajudar nas campanhas que a instituição já desenvolve há 40 anos com crianças e adolescentes que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade, em projetos nas áreas de educação, saúde/proteção da infância, desenvolvimento econômico e promoção da cidadania.

Parte do dinheiro obtido com a venda do acessório será revertido para projetos da ONG que beneficia mais de 2,7 milhões de brasileiros em 13 estados, da região semiárida do Nordeste do país, do Vale do Jequitinhonha e do Norte de Minas Gerais, na Amazônia e nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), e São Paulo (SP).

Trata-se de um colar de pedra azul turquesa com detalhe laranja e estará disponível a todos que quiserem ajudar a causa. Cada pedra é única, fazendo com que as peças sejam sempre diferentes umas das outras. “Pensando os acessórios como adornos únicos para pessoas também únicas, completamente singulares entre si. Essa relação se retroalimenta, e essa exclusividade em cada encomenda é o que mais encanta tanto a mim como artesã quanto os clientes”, afirma Talita Rubinho, criadora das peças.

A peça desenvolvida para a ação em parceria com a Visão Mundial, traz em si essa ideia de unidade. Cada uma das chapas de Turquesa é diferente uma da outra, carregando em si suas próprias cores, formatos e veios. Não há uma peça como a outra. Cada colar de Talita é único, graças à Natureza. A cor azul da pedra e o detalhe em laranja no fecho remetem às cores da Visão Mundial, e trazem, assim como a organização, um sentimento vibrante de alegria e esperança.

A ideia de lançar a coleção surgiu pois Talita sempre teve vontade de realizar uma parceria com um projeto social, e acredita que a Visão mundial enxerga o mundo através da mesma lente especial que a ela: vendo a singularidade. Para ela, o dia das mães foi a data perfeita para pensar nessa parceria, pois presenteando uma mãe, você presenteia também uma criança com um carinho. “Queremos criar coisas belas, e amamos o fato de que através de um acessório bonito podemos disseminar ao mesmo tempo beleza e generosidade”, conclui.

Para comprar e saber mais informações sobre o colar, acesse o site visaomundial.org/diadasmaes.

Sobre a Visão Mundial

Maior ONG humanitária do mundo, a Visão Mundial Brasil integra a parceria World Vision International, que está presente em cerca de 100 países. No País, a Visão Mundial atua desde 1975 em 10 estados, beneficiando 2,7 milhões de pessoas com projetos nas áreas de educação, saúde/proteção da infância, desenvolvimento econômico e promoção da cidadania. Seus projetos e programas têm como prioridade as crianças e adolescentes que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade. Mais de 80 mil crianças são atendidas anualmente pela organização. Nesses 40 anos de atuação no Brasil, a Visão Mundial se consolida como uma organização comprometida com a superação da pobreza e da exclusão social – visaomundial.org.br

wpid-logo-clin-peq191 (1)

Anúncios

#Cultura: Alexandre Herchcovitch cria coleção infantil sem gênero

Alexandre Herchcovitch com as crianças usando a coleção para a PUC (PUC/Divulgação)

Marcas que estão aderindo a desfiles que não são separados por gênero, linha da H&M que não faz distinção entre homens e mulheres e a volta de um perfume “unissex” do O Boticário: o mundo — e o mundo da moda — estão em ebulição, e agora é a vez da moda infantil.

E a iniciativa parte também das próprias crianças: em janeiro, Alice Jacob escreveu uma carta para a GAP, pedindo que houvesse mais investimento em uma moda com menos divisão entre gêneros. Surpreendentemente, a gigante americana afirmou que atenderia ao pedido.

A nova coleção da PUC, uma das principais marcas infantis do país, e de Alexandre Herchcovitch, também segue essa ideia de dar um respiro renovador para as criações baseadas em expectativas de gênero. A parceria faz parte do Projeto PUC LAB, que tem como principal objetivo explorar novos ares criativos por meio da colaboração com designers, marcas e estilistas que tenham sinergia com a identidade da marca — ser pai de dois menininhos que usam roupas da marca foi quesito de peso Alexandre ter sido escolhido para inaugurar o projeto. “A minha relação com a PUC é bastante íntima. Eu sou cliente há muito tempo, eu compro roupas para os meus filhos e agora eu tive a oportunidade de criar uma coleção desenhada por mim. Meus filhos podem usar de tudo. A coleção é democrática, para todos”, conta Alexandre Herchcovitch.

A missão de Alexandre, a pedido da PUC, foi desenvolver as peças da já tradicional Linha Essencial, aposta periódica que traz peças despojadas destinadas tanto para meninos quanto para meninas. “O ideal é termos sempre a liberdade de usarmos o que quisermos sem pensar que, por exemplo, cor tem gênero, ou uma modelagem específica tem gênero”, conta o estilista. 

A criação dessa coleção, com esse propósito, foi praticamente natural: “A moda infantil sem gênero sempre existiu. Quando você pensa em moda básica é na maioria sem gênero. Para a faixa etária que a coleção foi concebida, os corpos de meninos e meninas ainda são muito parecidos, as modelagens são básicas, calças, camisetas em geral”, explica.

Entre os modelitos estão coletes, moletons, camisetões e calças com modelagens soltas, que transitam entre os armários dos pequenos. A cartela de cores que tem cinza, azul, vermelho e preto ganha diversão com as listras estratégicas, xadrez e estampas que brilham no escuro. A coleção estará disponível entre os tamanhos 02 a 16, a partir do dia 18 de abril, em todas as lojas PUC e também no e-commerce da marca.

Foto da campanha da coleção de Alexandre Herchcovitch para a PUC (PUC/Divulgação)

Créditos: Elle

wpid-logo-clin-peq191 (1)

#Comportamento: Empatia é a habilidade mais importante que você deve ter

empathy-projetual-blog.jpg

Dentre todas as habilidades “praticáveis“, a empatia com certeza é a mais importante. Ela vai te levar a um maior sucesso profissional e pessoal, além de torná-lo mais feliz enquanto a pratica.

E, não confunda empatia com simpatia. A primeira significa você fazer uma conexão emocional com alguém, enquanto a segunda está diretamente ligada a maneira como você trata uma pessoa com naturalidade.

A chave para ser empático é não julgar as outras pessoas. É colocar-se no lugar do outro ao invés de apontá-lo o dedo. No geral, pessoas empáticas são menos preconceituosas. Aceitam o outro como ele é.

Ok, por que praticar a empatia?

Só a definição acima provavelmente já faria o mundo um lugar um pouco melhor. Mas, vamos lá!

  1. Você entenderá melhor as necessidades das pessoas ao seu redor;
  2. Você entenderá melhor a percepção que cria nos outros através de suas palavras e ações;
  3. Você entenderá as partes tácitas de sua comunicação com os outros;
  4. Você entenderá melhor as necessidades de seus clientes;
  5. Você terá menos conflitos interpessoais para lidar no trabalho e em casa;
  6. Você será capaz de prever com maior precisão as ações e reações de quem interage com você;
  7. Você vai aprender como motivar as pessoas ao seu redor;
  8. Você convencerá de forma mais eficaz as pessoas a respeito de seu ponto de vista;
  9. Você lidará melhor com a negatividade dos outros e entenderá suas motivações e medos;
  10. Você será um líder melhor, um melhor seguidor e, mais importante, um amigo melhor.

Ok,  e como praticá-la?

Ouça atentamente o que as pessoas tem a dizer. Considere a motivação por trás do orador. Considere quais experiências de vida ou de trabalho o levaram àquela visão de mundo. A partir destas três ações será muito mais fácil colocar-se no lugar do outro. Isso parece tudo muito óbvio, mas a partir do momento que você começa a praticar a empatia, verá rapidamente os benefícios provocados por ela.

Então, abra sua mente. Melhore, mesmo que só um pouco, a vida de quem está ao seu redor.

Créditos: contioutra

wpid-logo-clin-peq191 (1)

#Saúde: Você sabe lidar com uma pessoa com a Doença de Parkinson?

04 de abril é o Dia Nacional do Parkinsoniano. Geriatra consultor da Netfarma, explica quais são os sintomas da doença e também a melhor forma de lidar com um parente com essa condição

O dia 4 de abril é o Dia Nacional do Parkinsoniano. A Doença de Parkinson acarreta degeneração de células cerebrais em uma área do cérebro responsável pela produção de dopamina, um neurotransmissor que atua na condução das correntes nervosas no corpo. Assim, a pessoa afetada pela doença passa a apresentar alguns sintomas específicos, caracterizando a síndrome Parkinsoniana ou Parkinsonismo. Trata-se de quadro que deve ser sempre diagnosticado e tratado pelo médico, e que precisa ser enfrentado com amor e paciência por todos os envolvidos com o paciente.

O Dr. Thiago Monaco, médico geriatra e consultor da megafarmácia Netfarma, explica que entre os principais sintomas motores dessa enfermidade estão a lentidão nos movimentos, rigidez articular, tremores mesmo em repouso e desequilíbrio, além de dificuldade de identificação de cheiros, problemas de intestino e distúrbios do sono. Ele dá informações e orientações aos parentes que convivem com uma pessoa que apresente Parkinson:

– O Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, causada pela deterioração progressiva das células nervosas da parte do cérebro que controla o movimento muscular. Crônica e progressiva, a doença de Parkinson se manifesta em alguns indivíduos devido à degeneração das células situadas numa região do cérebro chamada substância negra. Essas células normalmente produzem uma substância chamada dopamina, que conduz as correntes nervosas – os neurotransmissores – ao corpo. Com a degeneração dessas células o que ocorre é a falta ou a diminuição da dopamina o que passa a afetar os movimentos da pessoa, provocando diversos sintomas tais como: lentidão, tremores, rigidez muscular, desequilíbrio, perda do controle muscular, alterações na fala e na escrita.

– Não é uma doença fatal, nem contagiosa. Também não há evidências de que seja hereditária. Apesar dos avanços científicos, ainda permanece incurável e a sua causa continua desconhecida até os dias de hoje. Sinais como o tremor, principalmente nas mãos, é o que costuma levar a pessoa a buscar ajuda médica, mas nem sempre esse sintoma está associado à doença de Parkinson. O diagnóstico da doença é feito com base na história clínica do paciente e nos exames neurológicos. Não há nenhum teste específico para fazer o diagnóstico da doença de Parkinson, nem para a sua prevenção. Apesar de ser mais associada ao fator idade, a doença pode acometer qualquer pessoa, independentemente de sexo, raça, cor ou classe social. A grande maioria das pessoas tem os primeiros sintomas geralmente a partir dos 50 anos de idade. Mas pode também acontecer nas idades mais jovens, embora esses casos sejam mais raros.

– As pesquisas sobre o Parkinson não cessam e de tempos em tempos apresentam bons resultados em relação aos tratamentos, controle de sintomas e novas descobertas relativas a manifestação da doença. Apesar de ainda não existir a cura, a doença de Parkinson pode e deve ser tratada, não apenas visando combater os sintomas, mas também retardando o seu progresso e mantendo a melhor qualidade de vida do afetado.

– O tratamento médico para combater o Parkinson é baseado em remédios e cirurgias, além da associação com terapias de saúde complementares tais como a fisioterapia, a fonoaudiologia, a psicologia, terapia nutricional e ocupacional. Diante da constatação da doença, o médico indica o tratamento medicamentoso adequado as necessidades do paciente e passa a acompanhá-lo de perto. As terapias complementares são consideradas fundamentais para a qualidade de vida do paciente que assim pode usufruir dos avanços nessa área específica da saúde, obtendo animadores resultados que irão aliviar os sintomas da doença.

– A atitude que o parkinsoniano e seus familiares devem ter frente ao Parkinson é o encorajamento para buscar informações atualizadas e esclarecimentos sobre todos os benefícios que podem ser obtidos através dos tratamentos multifuncionais na prevenção e melhoria dos sintomas. A fisioterapia é um complemento indispensável ao tratamento da doença, sendo considerada tão importante quanto os remédios. Com base na reeducação dos movimentos do corpo e na prática de atividades físicas importantes, a fisioterapia permite que o tratamento seja mais eficaz, atuando de forma determinante inclusive para melhorar o estado psicológico e a disposição do parkinsoniano.A fonoaudiologia é também considerada uma terapia fundamental uma vez que a falta de coordenação e a redução do movimento dos músculos do parkinsoniano também afetam a produção dos sons da sua fala. Com o auxílio da terapia fonoaudiológica, o paciente pode conservar uma fala mais ativa, mais compreensível e uma voz mais firme e melhor modulada, fatores indispensáveis a sua boa comunicação. Além do auxílio na manutenção da comunicação adequada, a fonoaudiologia auxilia nos exercícios diários da mastigação e da deglutição, permitindo uma alimentação mais saudável e natural que ajuda na manutenção do peso, da nutrição e da qualidade de vida do parkinsoniano.

– O terapeuta ocupacional é o profissional que melhor poderá orientar o parkinsoniano nas atividades de sua vida cotidiana, além de prepará-lo para a implementação de condutas que lhe tragam maior independência, prazer, concentração, facilitação na condução de sua higiene pessoal e até mesmo a reinserção em sua atividade profissional.

– O acompanhamento nutricional também é importante já que uma boa dieta pode melhorar o estado geral do paciente. Conselhos sobre o número de refeições diárias, os intervalos, o conteúdo da dieta especial, o teor calórico diário do seu cardápio e a forma de apresentação dos variados tipos de alimentos são fundamentais para que o parkinsoniano consiga se alimentar de forma eficiente.

– Psicólogos também podem influenciar bastante no tratamento, uma vez que os fatores emocionais são uma parte importante da doença de Parkinson, tanto para o portador como para seus familiares. A terapia pode ajudar a diminuir os efeitos traumáticos da doença que acabam gerando confusão e ansiedade. Como ocorre em outras doenças degenerativas, o Parkinson pode afetar no mínimo duas pessoas: o paciente e seu cuidador. Por isso, é tão importante que os familiares dos portadores da doença busquem informações para ajuda na condução do tratamento ou até se engajem em grupos de apoio que surgem basicamente com esse objetivo: apoiar os parkinsonianos e seus familiares.

“Vale lembrar que o nível de comprometimento funcional ocasionado pelo Parkinson muda bastante de um paciente para outro. O importante é lidar de forma franca, consciente e com união familiar, a fim de que se alegre facilite a vida do paciente. Ele pode e deve levar a vida da forma mais natural possível, ele conclui.

Novidade na área da pesquisa – Um estudo recente concluiu que o antibiótico doxiciclina, presente há 50 anos no mercado, pode ter potencial para o tratamento da Doença de Parkinson. A pesquisa, realizada inicialmente com camundongos e publicada na revista Scientific Reports, teve resultados que sugerem que em determinadas dosagens, a doxiciclina pode ter um efeito anti-inflamatório e neuroprotetor. Essa é uma constatação importante para o início de experimentos com seres humanos, a fim de que a substância se torne uma possível forma de tratamento do Parkinson.

Sobre a Netfarma – A Netfarma é uma farmácia próxima, confiável, transparente, prática e conectada que oferece todos os produtos de saúde, beleza, higiene e perfumaria, inclusive medicamentos, cosméticos e suplementos, para atender às necessidades dos clientes de qualquer lugar do Brasil. Através do site Netfarma.com.br ou do call center (11) 4619-8800, você encontra produtos para saúde e beleza de forma simples, rápida, fácil e segura. O serviço da Compra Automática permite a assinatura dos produtos de uso frequente, sem ter que repetir o processo de compra todos os meses. A Netfarma prioriza o cuidado e discrição com o pedido, que chega protegido na #netbox. A empresa conta com o selo Diamante da Ebit e com o selo RA 1000 do ReclameAqui, concedidos às empresas que demonstram comprometimento com a satisfação do consumidor e que têm excelentes índices de atendimento ao cliente.

wpid-logo-clin-peq191 (1)